26
Mar 08

Sinopse: Uma comédia sobre o crescimento... e os acidentes de percurso. Juno (Ellen Page) é uma adolescente segura e descontraída com resposta para tudo e para todos. Juno não tem um problema de atitude; tem atitude a mais.

Para sobreviver a mais uma tarde de aborrecimento, Juno decide ter sexo com o seu inseguro colega de escola Bleeker (Michael Cera).

Confrontada com uma gravidez indesejada, Juno e a sua melhor amiga Leah traçam um plano para encontrar os pais perfeitos para o bebé que ainda vai nascer.

Mas à medida que a barriga vai crescendo e que Juno vai convivendo com os futuros pais da criança, começa a perceber que, afinal, não tem resposta para tudo… e que a vida ainda lhe pode reservar algumas surpresas.

Depois de «OBRIGADO POR FUMAR», Jason Reitman assina uma comédia única e irreverente, com desempenhos notáveis dos jovens Ellen Page e Michael Cera, que tem vindo a ser aclamada pela crítica internacional e a arrecadar inúmeros prémios.

 

Crítica: Com enorme simplicidade, Juno narra na perfeição o despertar sexual dos jovens, de forma séria e directa. Utilizando aqui personagens fortes e complexos,  a ex-stripper e blogger Diablo Cody apresenta um argumento desarmante na forma natural como encara a gravidez na adolescência, sempre um tema com grande impacto na vida dos jovens… mas com certeza não é o fim do mundo. Jason Reitman filma aqui uma história marcante e séria, sem no entanto ter o lado pesado e moralista.

Assim, somos facilmente sugados para o universo de Juno (Ellen Page) que, p’ra fugir a uma tarde de aborrecimento, decidiu ter sexo com o seu amigo Paulie Bleeker (Michael Cera), resultando daí o cerne da questão: uma gravidez indesejada. Depois do choque inicial, há um apoio incondicional do pai (J.K.Simmons) e da madrasta (Allison Janney), mesmo quando Juno decide ter o bebé e dá-lo p’ra adopção, por achar que a criança não tem culpa dos seus próprios erros. Parte assim em busca dos pais perfeitos para a criança, até encontrar Vanessa (Jennifer Garner) e Mark (Jason Bateman), duas pessoas amáveis e bem sucedidas que aparentam ser os candidatos perfeitos.

No meio de toda esta angústia, Juno mostra uma sabedoria surpreendente para uma rapariga da sua idade…(tal como a actriz que a encarna)

Este é um filme com um excelente leque de actores, mas há dois jovens (ela mais que ele) que roubam todo o ecrã…

Num universo em que as jovens actrizes têm que ser esteticamente perfeitas, magras-quase-anoréticas, andar em poses provocantes nas capas de revistas masculinas… mesmo que não saibam representar (vide casos Paris Hilton, Lindsay Lohan..) surge Ellen Page, a pequena canadiana que rouba qualquer cena. Ela apresenta-se como uma verdadeira actriz, com enorme talento no alto (embora seja baixinha) dos seus (apenas) 21 anos, sendo bonita sem ser provocante, superando aqui todas as expectativas já apresentadas em filmes como Hard Candy ou Os Fragmentos de Tracey. Aqui num papel complicado, consegue focar-nos em si durante toda a película, ignorando a grande pressão que lhe caía sobre os ombros. (Só um aparte: Esperemos que de facto siga os passos da grande Natalie Portman, com quem já a comparam…)

Quanto ao jovem que a acompanha, Michael Cera incorpora um Bleeker fantástico, dando um lado totalmente hilariante e confuso – tornando-o real – ao jovem.

Nota também para Jennifer Garner, a conseguir interpretar – finalmente – um bom papel em cinema…

Este é um filme com uma realização deveras fascinante, de tal forma que nem parece um filme norte-americano, não tendo os clichés típicos deste género de filme, apostando muito no diálogo, algo muito comum no cinema europeu. Estes diálogos transformam-se no ponto forte e no núcleo do filme, conseguindo assim compreender mais os valores das personagens, bem como a sua história, e o que se passa na cabeça de Juno…

Este é um filme independente, muito feel-good, ao estilo do que se tinha passado com Little Miss Sunshine no ano passado… e tal como este, tem uma banda sonora fantástica, com o delicioso genérico inicial, passando por diversas músicas de Kimya Dawson e terminando com uma muito boa versão dos The Moldy Peaches interpretada por Ellen Page e Michael Cera.

publicado por FV às 18:50

Março 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
12
14

16
18
19
21

24
25

30
31


pesquisar
 
mais sobre mim

AS

FV