12
Set 06

   


    Um trabalho de amor, um tributo a um amigo falecido, uma forma de superar o pesar… Este projecto é quase uma lenda na história quer dos Pearl Jam quer dos Soundgarden e o seu nome inspira respeito aos fãs de ambas as bandas. Uma união entre duas lendas, dois pesos pesados da música de Seattle, Chris Cornell (Soundgarden, Audioslave) e Eddie Vedder (Bad Radio, Pearl Jam).

            Os Temple of the Dog foram formados por Chris Cornell após a morte do seu antigo companheiro de quarto, o vocalista dos Mother Love Bone, Andrew Wood. Cornell escreveu duas músicas em seu tributo “Say Hello 2 Heaven” e “Reach Down”, e juntou-se aos ex-colegas de banda de Wood, Stone Gossard e Jeff Ament com a intenção de lançar as canções como singles. Então, Chris convidou o seu colega e baterista dos Soundgarden, Matt Cameron, tendo-se juntado à banda um outro guitarrista que estava a trabalhar com Stone e Jeff, Mike McCready.

            Depois da banda completa, começaram então a trabalhar nas músicas bem como noutros temas, demos feitas por Gossard/Ament/Cameron, sendo que uma dessas demos viria a tornar-se na música “Footsteps” para os Pearl Jam e “Times of trouble” para os Temple of The Dog. Então, com os ensaios, os singles cresceram para várias músicas, sendo então desenvolvido um álbum.

            No entanto, enquanto ainda estavam a recrutar membros, e durante uma dessas sessões acabaram por fazer uma audição a um jovem surfista de San Diego, Eddie Vedder, que tinha chegado a Seattle no Outono de 1990. Este jovem acabou por fazer backing vocals em algumas das músicas dos Temple of The Dog, fazendo mesmo um dueto com Chris Cornel em “Hunger Strike”. Então, no Inverno do mesmo ano, foi gravado o álbum dos Temple of the Dog, lançado em Abril de 1991, com as vendas iniciais a serem modestas. Os membros da banda eram ainda muito desconhecidos na cena musical de Seattle, pelo que nenhum deles esperava mais do projecto. A banda deu um concerto oficial, no Off Ramp Café, em 13 de Novembro de 1990 – como confirmado por Matt Cameron – sem Eddie Vedder, que no entanto tinha combinado trabalhar com Ament, Gossard e McCready durante as tardes no seu novo projecto Mookie Blaylock, enquanto à noite se mantinham a trabalhar com Chris Cornell.

            Então, durante a primavera de 1991, os Soundgarden entram em estúdio para iniciar as gravações de um álbum que se tornaria lendário – Badmotorfinger – ao mesmo tempo que os Pearl Jam (nome pelo qual se passaram a conhecer os Mookie Blaylock, inspirado no nome de uma receita alegadamente alucinogénica da avó de Eddie Vedder) gravavam o seu também lendário álbum de estreia Ten. Com estes álbuns deu-se uma “explosão” destas bandas, ficando os fãs e os media sedentos por mais e mais…

            Foi então que se deu o re-lançamento do álbum dos Temple of the Dog, aproveitando a editora A&M esta excelente oportunidade. No entanto, os fãs não conseguiam entender o espírito e as origens do projecto nem a razão pela qual Eddie era relegado para segundo plano no vídeo de “Hunger Strike” ou porque não cantava em mais músicas.

            Apesar desta confusão existiram mais duas semi-reuniões dos Temple of the Dog, uma das quais em Outubro de 1991, no showcase Foundations Fórum, em que ambas as bandas participaram e outra no último Lollapalooza em ’92. Em 28 de Outubro de 2003, os Pearl Jam receberam a companhia de Chris Cornell em palco para uma performance de “Hunger Strike” e “Reach Down”. A versão de “Reach Down” ficou gravada no anual Ten Club Christmas Single dos Pearl Jam desse ano.

            Os Pearl Jam tocam também algumas destas músicas nos seus concertos, bem como os Audioslave (banda pós-Soundgarden de Chris Cornell), que tocaram em 2005 “Call me a Dog”, “All night Thing” – música que aparece na BSO do filme Wayne’s World – e “Hunger Strike”.

            Apesar de muitos de nós gostarmos de ver estas duas bandas juntarem as suas forças e enormes potenciais de novo, os Temple of the Dog cresceram do amor, emoção e pesar… Nenhum de nós consegue compreender o que passaram e sentiram Chris, Stone e Jeff com a morte do seu amigo e é errado pedir-lhes para se juntarem apenas por nossa comodidade e para nosso prazer. Ao invés, devemos apenas desfrutar, apreciar e respeitar o facto de eles terem escolhido esta forma de partilharem o seu pesar connosco… da melhor forma que sabem: fazendo música…

            E como diria Andrew Wood, no fundo a razão de existência desta união:

I want to show you something, like joy inside my heart
Seems I been living in the Temple Of The Dog
Where would I live if I were a man of golden words
Or would I live at all
Words and music - my only tools


publicado por FV às 18:05

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


Setembro 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
14
15
16

17
18
19
20
22

24
25
26
27
28
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
pesquisar
 
mais sobre mim

AS

FV