11
Abr 07


Se juntarmos membros de bandas rock de sucesso em Portugal, com um actor reconhecido, e a isto ainda adicionarmos letras de um dos maiores “poetas” do rock nacionais, obtemos uma das bandas mais interessantes do panorama nacional: Mundo Cão.

E quem são os Mundo Cão?
São um projecto rock propriamente dito, descomplexado, abrangente, puro... que não busca qualquer rótulo. Sem veleidades a ser fenómeno de popularidade, a banda pretende, acima de tudo, a consolidação do seu projecto tendo como base a qualidade dos seus temas.
São Pedro Laginha (voz), Miguel Pedro (bateria), Vasco Vaz e Budda (guitarras) e Duarte Nuno (baixo), tendo como ”joker” o facto de todo o seu álbum de estreia ser escrito por um dos maiores letristas da música portuguesa, Adolfo Luxúria Canibal, a voz dos Mão Morta.
A imagem e o reconhecimento dos músicos junto dos mais atentos observadores do mundo da música portuguesa é já um capital inalienável. Às caras conhecidas da sociedade juntam-se as caras reconhecidas por um público fiel à boa música.
  • Pedro Laginha, o vocalista, será a cara mais conhecida do público, mas desengane-se quem pensa que é da música que o conhecem, pois nunca editou qualquer trabalho discográfico. É actor, tendo participado em filmes como “Amo-te Teresa”e “Alta Fidelidade” e séries como “Pedro e Inês” e “Vingança”, bem como em algumas produções de teatro, tendo anteriormente colaborado com os Mão Morta no teledisco de “Cão da Morte” e em alguns temas do último álbum dos mesmos, como Gumes, com Adolfo Luxúria Canibal, e fazendo coros em Estilo e Vertigem. Foi destas colaborações que surgiu este projecto, pois o vocalista e letrista dos Mão Morta apercebeu-se da qualidade do actor e verificou que tinha um conjunto de letras que não se adaptavam à sua própria voz, vendo em Pedro Laginha a pessoa ideal para interpretá-los.
  • Miguel Pedro, o baterista, faz uns 25 anos, iniciou com o mesmo Adolfo Luxúria Canibal, uma das mais carismáticas bandas nacionais, os Mão Morta. O Miguel sabe bem o que é estar numa banda de culto que acumula prémios e adjectivações elogiosas, sendo um dos mentores deste projecto.
  • Vasco Vaz, um dos guitarristas, é parceiro de Miguel nos Mão Morta, tendo tido tempo, antes disso, de fundar uma das bandas que deixaram saudade no panorama musical do nosso país, os Braindead.
  • Budda, o segundo guitarrista, também conhecido do público, era o baixista de outra banda nacional, os Big Fat Mamma.
  • Duarte Nuno, o baixista, é o menos conhecido do público, não deixando por isso os créditos em mãos alheias.
O primeiro trabalho foi forjado nos finais de Setembro de 2006, nos estúdios de Mário Barreiros e saiu para o público a 19 de Março último, tendo como produtores Nelson Carvalho e a própria banda. Um álbum ao bom estilo do rock produzido fora de Portugal, despretensioso, poderoso, a bom nível, como é possível comprovar pela primeira amostra – Morfina – e também é possível acompanhar ao longo do álbum, que se torna quase um vício após algumas audições, com temas realmente bem trabalhados, como é o caso de O Caixão da Razão, Divã de Tule, Noite na cidade e O Andarilho do Desejo.

 


Alinhamento do álbum

 1. Morfina

 2. O Caixão da Razão

 3. Divã de Tule

 4. Vasculhar sua ficção

 5. O Andarilho do Desejo

 6. Noite na cidade

 7. Da vertigem sou mendigo

 8. Louva-a-Deus (enamorado)

 9. Estroinice

10. Olga diz

11. (...)

publicado por FV às 15:55

Abril 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10

15
16
17
18
20

22
25
27

29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
pesquisar
 
mais sobre mim

AS

FV