22
Mai 07

Sinopse: Verão de 1870. Ramalho Ortigão é raptado. Decide então desafiar o seu amigo Eça de Queirós para escreverem um policial para o Diário de Noticias. O enredo deste folhetim passa-se entre Sintra e Malta e tem como figuras principais vários membros da aristocracia da sociedade lisboeta da época: Luísa, que é casada com o Conde de V. a quem é infiel por força da sua paixão pelo capitão inglês Rytmel; Cármen, uma mulher cubana, de sangue quente que não olha a meios para alcançar os seus fins e Vasco, que é primo da condessa Luísa e por quem está apaixonado. A trama avança, e com ela crescem ameaças, duelos, sexo e intrigas. Lisboa está em alvoroço. Ramalho e Eça são ameaçados. Sabem demais. Os crimes sucedem-se a passos largos, numa história onde o amor é mais forte do que a tradição, a intriga escapa às evidências e tudo corre freneticamente como num jogo. Será que houve mesmo crime? Será que Ramalho foi mesmo raptado?
Estas são as perguntas que sustentam o conflito entre os nossos dois autores. As personagens criadas no folhetim, afinal podem ser reais? Toda a gente se toma pelo Conde atraiçoado. À medida que o folhetim avança, cresce o envolvimento dos escritores que sofrem na pele as perseguições daqueles que sentem a história como real.
E o que pensa a sociedade, o director do Jornal, o grupo de intelectuais com que os autores convivem e as próprias personagens da ficção, ou será que são da realidade?
 
Crítica: Este filme, realizado por Jorge Paixão da Costa traz uma lufada de ar fresco às salas de cinema portuguesas, retratando uma época carismática onde os valores da sociedade se reflectiam numa mentalidade materialista e de aparências. Numa crítica constante aos costumes e mentalidades da época, esta adaptação mantém-se sempre entre o romance, a promiscuidade e o policial. Daqui sobressai então a importância desta dupla de escritores que representam uma espécie de mentes lúcidas da época, em especial Eça, que teima em insistir no lado crítico do folhetim enquanto que Ramalho se sente tentado a escrever o enredo de uma forma mais superficial e politicamente correcta. Esta dupla é brilhantemente interpretada por dois excelentes actores: Ivo Canelas (Eça) e António Pedro Cerdeira (Ramalho) que tem neste filme um desempenho excelente e que em muito contribuem para a boa “condução” do mesmo, com sucessivos apontamentos de humor, discretos mas bem conseguidos. Em paralelo, o romance do impecável Capitão inglês William Rytmel com a condessa Luísa e a intervenção de Cármen, é o primeiro dos muitos pretextos para uma caricatura feroz sobre as relações luso britânicas, numa época que antecedeu o Mapa Cor-de-Rosa e o Ultimato, em que se revelavam já muitas das tensões que se viriam, em breve, a agravar. Como diz, então, Eduardo Coelho – o director do Diário de Notícias – todos têm os olhos sobre o folhetim e os seus autores; "o Governo, as Cortes, a Igreja, o Rei...". Todos aguardam a saída do próximo capítulo, capaz de ter influência na estabilidade social. Nicolau Breyner, como director do DN, tem também um excelente papel, mesmo tendo em conta a relativa brevidade da sua intervenção.
O realizador mostrou também alguma preocupação em humanizar estes personagens que, progressivamente conseguem fazer passar para o espectador os seus sentimentos, angustias e, principalmente os sentimentos de raiva contra uma sociedade tão falsa e fechada.
São os pormenores que enaltecem esta longa-metragem, já para não falar dos cenários, da caracterização e do guarda-roupa, fazendo-nos mergulhar por completo no retrato do nosso país no século XIX, embrenhado num mistério que teima em não se resolver e que nos deixa cheios de curiosidade até ao final do filme.
O Mistério da Estrada de Sintra é, portanto, mais um filme a contribuir para o equilíbrio da produção do cinema português, que nos últimos anos tem mantido uma certa regularidade, uma maior variedade de géneros e, sobretudo, uma qualidade média que vai crescendo progressivamente.
publicado por AS às 17:51

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


Maio 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9

13
15

20
23

27
28
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
pesquisar
 
mais sobre mim

AS

FV